A re-interpretação de monumentos epigráficos em contextos secundários e as inscrições de Sintra (Portugal): o polissémico caso da grande tábula dos "Aelii" (CIL II 267) [Parte 2]

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Publicado abr 15, 2013
José Cardim Ribeiro

Resumen

Nesta segunda e última parte do seu estudo sobre o cariz polissémico ao longo dos séculos conferido à grande tábula dos Aelii (CIL II 267), o A. analisa e procura de forma detalhada explicar e enquadrar culturalmente uma outra tradição lendária, ora de matriz popular e fundo maravilhoso, construída em torno do velho 'tabuleiro' pétreo —e dos seus enigmáticos letreiros— pela peregrinante população rural que, no decorrer dos séculos, afluiu dos termos de Sintra e de Mafra à Ermida de São Miguel de Odrinhas. Por fim, não deixa o A. de evidenciar que igualmente as nossas actuais perspectivas, científicas e museológicas, constituem a seu modo novas e específicas interpretationes as quais, também elas, obviamente alteram e acrescentam a dimensão semântica original do objecto investigado.


Abstract 97 | PDF Downloads 270

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Sección
III. "Ex codice ad titulum". Modelos para la epigrafía del Renacimiento y del Barroco